Mais sobre a esclerose multipla


Mais sobre a esclerose múltipla

These language pages are under development

A esclerose múltipla (EM) é uma doença crónica e frequentemente incapacitante. É uma das condições neurológicas incapacitantes mais comuns entre os jovens adultos no hemisfério norte. Afecta cerca de três vezes mais as mulheres do que os homens, e os seus sintomas começam a manifestar-se habitualmente a partir dos 30 anos de idade, muitas vezes uma fase crítica da vida adulta. Mais de 2.000.000 de pessoas sofrem de EM em todo o mundo.

A EM resulta de danos na mielina – o revestimento protector em volta das fibras nervosas do sistema nervoso central (cérebro, espinal medula e nervos ópticos). Quando a mielina é danificada interfere com as mensagens entre o cérebro e as outras partes do organismo, sendo que isso pode também resultar em danos permanentes nas próprias fibras nervosas.

Os sintomas variam muito e incluem visão turva, perda de força nos membros, dor, distúrbios da bexiga, inquietude e fadiga. Para algumas pessoas com EM, a doença é caracterizada por períodos de recaída e remissão, enquanto que em outras pessoas esta apresenta um padrão progressivo. Para todas as pessoas com EM é impossível prever uma esperança de vida.

Alguns dos aspectos mais complexos que afectam as pessoas com EM incluem a falta de acesso adequado à informação e à educação pública, a falta de apoio social, a necessidade de aconselhamento e apoio relativamente ao emprego, seguros de doença e segurança social, e a disponibilidade limitada de tratamentos modificadores da doença, outras terapêuticas e reabilitação.